Demissão: 5 dicas para gestores de academia

Faça com que esse processo não seja desgastante para o seu negócio.

Quando chega a hora da demissão sabemos que não é um processo agradável para gestores de academia, principalmente se um funcionário já faz parte da equipe há muito tempo.

Porém, é preciso analisar com estratégia como aquele membro do time está afetando o rendimento dos demais, além do que pode mudar caso ele seja mandado embora. 

Pensando nisso, preparamos 5 dicas para deixar esse momento menos desagradável e com tomadas de decisões assertivas. Continue a leitura!

Demissão, como ela pode ser feita de forma ainda mais efetiva pelos gestores de academia?

Como gestor, muitas vezes você precisa ter atitudes um tanto quanto desagradáveis, demitir um funcionário é uma delas. 

A insegurança pode tomar conta ao pensar em algum corte, principalmente se o funcionário possuir um salário que pode deixar o seu orçamento mais caro. Além disso, se ele for ativo nos processos internos e exercer uma interação constante com o público, pode gerar um impacto negativo. Então, o que fazer?

Seja transparente e objetivo

Primeiro de tudo, deixe o seu funcionário saber os motivos para que a demissão esteja acontecendo. Isso pode evitar fofocas internas sobre a sua gestão e como está mandando embora pessoas sem explicações razoáveis.

Outro fato é que o seu funcionário merece saber onde errou, até porque ele irá procurar novas oportunidades e precisa se adequar melhor ao mercado de trabalho. Veja isso como uma espécie de direcionamento, mesmo que o feedback seja muito negativo.

Seja claro, breve e muito objetivo. Um diálogo como esse não precisa ser prolongado, basta sinalizar que ele não tinha o perfil de comportamento adequado para a função, não estava lidando bem com o clima organizacional, que você está querendo fazer uma reciclagem ou até mesmo explicar que houve uma certa acomodação, por exemplo.

Caso tenha acontecido alguma ocasião em que a raiva foi despertada, espere que ela passe antes de ter uma conversa com o seu funcionário. As emoções podem lhe deixar vulnerável e até mesmo fazer com que perca a razão. 

Monte um plano de ação para funcionários antigos

Pessoas que trabalham muito tempo no mesmo lugar costumam dar mais dor de cabeça na hora da demissão, principalmente pelo fato de que influenciam nos valores das verbas rescisórias, tornando-as mais onerosas.

Porém, muitas das vezes, esses funcionários são mais amigáveis, visto que eles possuem um relacionamento de longo prazo com colaboradores e clientes.

Sendo assim, para a demissão de alguém com essas características, é necessário alinhar os impactos que causará no seu negócio. Mas veja bem, não estamos falando para não demitir!

O interessante é tomar a decisão de maneira bem pensada e estratégica, com um planejamento bem estruturado e com raciocínio que veja todas as possibilidades. Outra coisa importante é o diálogo aberto, como falamos anteriormente.

Ter pessoas competentes fazendo parte da equipe como um todo fará com que isso se torne menos complicado, visto que poderão suprir as necessidades até que um novo colaborador se adapte ao cargo. 

Isso também pode ajudar na hora de fazer a gestão do conhecimento, onde poderá manejar seus funcionários novamente, de acordo com suas habilidades e competências. Fique de olho em novos talentos dentro da sua própria equipe.

Existe um melhor dia para demitir?

Para quem está demitindo sim, mas para quem vai ser demitido não.

Pode até parecer injusto, mas os melhores dias para isso é quando o funcionário volta de férias, depois de um final de semana ou feriado. Mas por quê?

Ele terá ficado alguns dias sem aparecer no trabalho, ou seja, a sua presença não terá sido notada, fazendo com que esse afastamento possa ser prolongado sem que os funcionários e clientes tenham uma memória muito recente dele.

Sem contar que depois das férias você terá arcado com mais uma responsabilidade financeira que não fará parte do acerto final, tenho cumprido com o que o colaborador tem de direito.

Evite constrangimentos sendo super profissional, ponderando o uso das palavras e com muita empatia. Isso evita atritos até mesmo futuros e, caso vocês tenham um bom relacionamento, ofereça cartas de recomendação e referência para futuros empregadores. Não seja apenas aquele que demite. 

Medo da justiça, e agora?

Fez tudo corretamente? Porque o medo então?

Muitas pessoas falam que causa trabalhista é causa ganha para o colaborador, mas isso só acontece se a empresa tem “culpa no cartório”. Se todos os seus documentos e acertos estão corretos desde a entrada do funcionário, não tem motivos para temer um processo.

Os parâmetros formais devem ser seguidos à risca, com tudo o que o seu funcionário tem direito, não tente ganhar tempo, pois uma hora será necessário pagar. Lembre-se disso!

Um funcionário tende a procurar um advogado somente se ele estiver certo, pois pode estar manchando a sua imagem no mercado de trabalho. Então, não dê motivos para que ele tenha razão, principalmente com uma carteira assinada, pois ele possui os direitos do trabalhador

Vale a pena dar um aviso prévio?

Muitos gestores dirão que sim, pois isso dá tempo para procurar alguma outra pessoa para o cargo, bem como o pagamento será realizado de acordo com o que foi trabalhado. Mas será que isso é mesmo necessário?

Se você tem o hábito de fornecer feedbacks constantes na sua academia, talvez não seja necessário esse aviso. A pessoa já terá em mente que não está desempenhando um bom trabalho há algum tempo, por exemplo.

Um colaborador cumprindo aviso prévio não terá clima para estar no ambiente de trabalho, tão pouco satisfação. Isso dará a ele tempo o suficiente para compartilhar suas angústias e desgostos com outros funcionários, ou até mesmo com seus clientes, criando uma atmosfera que não condiz com o ambiente. 

Depois de todas essas dicas, lembre-se de que você deve pensar no que é melhor para a sua academia. E não se esqueça: assim que o seu funcionário sair, recolha todos os seus acessos e troque as senhas, afinal, o seu negócio é particular e deve ser compartilhado apenas com aqueles que fazem parte do time. 

Lembre-se de que associados da ACAD possuem a oportunidade de se consultar juridicamente até uma vez por mês, através de um e-mail direcionado à uma equipe especializada coordenada pela Dra. Joana Doin. Baixe o material gratuito para saber mais clicando no banner abaixo:

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn

Sem comentário ainda, deixe o seu abaixo!


Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

WhatsApp chat